Pesquisar este blog

8.8.13

Apego

APEGO

Ainda tenho muito que evoluir em termos de desapego. Por isso, considero que um dos dramas do capitalismo é que quando você finalmente encontra um produto que atende às suas necessidades num universo de ofertas de desnecessidades, variando em forma, cor, tamanho, sabor, quantidade e outras dimensões ainda não alcançadas pela compreensão humana, eles o retiram do mercado.

É incrível que uma espécie tão refratária a mudanças tenha tamanha fixação em novidades. Ou será que esta é mais uma inutilidade inventada pelos marqueteiros?
Só sei que depois de muita experimentação, muita reação alérgica, finalmente achei o que queria e precisava. Passei alguns voláteis anos em completa felicidade de consumidora até descobrir que a produção do meu item de estimação havia sido descontinuada.

Não sou a única. Leio que uma modelo também teve um pequeno surto de tristeza ao descobrir que seu perfume favorito, aquele que ela identificava como seu próprio cheiro, havia saído de linha. Ela diz que é estranha a idéia de não mais sentir um aroma, especialmente se sobre ele se controi sua memória olfativa. O marido dedicado fuçou até descobrir na internet um local que ainda tinha a essência disponível para a venda e arrematou o estoque. Também eu corri para a grande rede por socorro e garanti a sobrevivência da minha satisfação por algum tempo. Mas esse recurso é limitado. Hoje lido com o final do penúltimo pote do meu tesouro. O que será de mim?


O curioso é que, ao contrário da maioria das outras pessoas, aprecio mudanças, expansão de paradigmas, variações, fuga da rotina opressora, pensar fora da caixinha, mas a inovação por si só não me seduz. Talvez devessem cogitar manter os produtos antigos, paralelamente aos novos, atendendo assim aos anseios de pessoas como eu, fiéis aos seus gostos. Não aprenderam nada com o Polvilho Antisséptico Granado, o Leite de Rosas ou o sabonete Phebo? Será que faço parte de uma minoria tão pouco representativa? Será que fidelidade é mesmo artigo em extinção?

Um comentário:

Gisela Menicucci Bortoloso disse...

Oi Carla, passei por aqui e aproveito para te dar um abraço.
Estou com saudades.

Gisela
@lerparadivertir
Ler para Divertir

Ocorreu um erro neste gadget