Pesquisar este blog

31.5.11

8º Prêmio ACIE de Cinema

Como esperado, o grande vencedor do 8º Prêmio ACIE de Cinema , o Globo de Ouro nacional, ocorrido ontem, no Centro Cultural Banco do Brasil, na Candelária, foi o favoritíssimo Tropa de Elite 2. O filme de José Padilha abocanhou os prêmios de Melhor Filme, Melhor Roteiro (Bráulio Mantovani), Melhor Ator (Wagner Moura) e Melhor Fotografia (Lula Carvalho).

Interessante observar que o prêmio de Melhor Diretor não saiu para a mesma produção que levou o troféu de Melhor Filme. Ele foi para a estante de José Joffily por Olhos Azuis, um grande filme, infelizmente, passado quase em branco pelas salas nacionais.

Glória Pires, nossa Meryl Streep, foi a escolhida como Melhor Atriz por Lula, O Filho do Brasil. A mesma fita também foi laureada como aquela com Melhor Trilha Sonora(Antônio Pinto e Jacques Morelembaum).

Uma Noite em 67 foi eleito o Melhor Documentário, mas um dos outros indicados para a categoria não saiu de mãos abanando. Dzi Croquettes foi eleito melhor filme pelo voto popular, o que não deixa de ser uma façanha e tanto para um documentário, como bem sublinhou sua diretora, Tatiana Issa ao receber a estatueta.

Singela e bonita homenagem ao Cacá Diegues, pelo conjunto da obra.

José Padilha subiu ao palco para receber praticamente todos os prêmios refentes ao seu filme no lugar dos premiados, já que, segundo ele, estavam documentando os treinos de Ronaldinho que se prepara para um jogo de despedida oficial pelo Corinthians.

É agradável ver grandes realizadores não mais se queixando das dificuldades de se fazer cinema neste país. Pelo contrário, foi voz corrente durante a cerimônia que, em vários aspectos, o Brasil atravessa um momento especial em sua História. O cinema nacional não poderia ficar de fora deste fenômeno. Os números das bilheterias para as produções nacionais enchem os olhos e os olhos do mundo voltam-se para nós guiados por obras como Rio, Velozes e Furiosos 5, Amanhecer (da Saga Crepúsculo), Os Mercenários, etc. O momento é difinitivamente auspicioso e o cinema brasileiro, embora ainda precise de financiamento, transforma-se em uma atividade permanente, que - torcemos todos - em breve caminhe com as próprias pernas.

Hoje tem mais. O Grande Prêmio do Cinema Brasileiro, o Oscar brasileiro, acontecerá às 21h, no Teatro João Caetano, na Praça Tiradentes.

Que brilhem cada vez mais nossas estrelas!

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget